23 de março de 2016

Viver com ataques de ansiedade

Não sei ao certo quando começou, mas tenho bem presente alguns momentos em que vivi atormentada com ataques de ansiedade. O coração a bater a "mim à hora", a sensação de desmaio, os suores frios, o choro que não se controla. Aparecem sem darem aviso e não se deixam controlar, primeiro aparecem muito espaçadamente, depois passam a ter uma regularidade assustadora. 
Nos dois primeiros anos da faculdade estes ataques tiveram o seu auge, no entanto no último ano praticamente não apareceram. Este ano já apareceram, mas por motivos completamente alheios à faculdade. 


Algo me atormentava. Procurei várias farmácias, vários farmacêuticos e todos me diziam "esteja descansada é normal o seu organismo está muito desregulado". Da primeira vez fiquei completamente descansada, mas nas semanas seguintes não. Sabia que era impossível estar com alguma coisa, sabia que toda a gente tinha razão, mas tinha um mostro dentro de mim que me levava sempre para os piores pensamentos. O alerta foi à uns fins de semana atrás os pensamentos eram horríveis e não desapareciam, tomei tantas misturas tão más que não sei como não vomitei durante dias a fio, nesse fim de semana atingi o auge de desespero e ansiedade. 
Logo no início da semana decidi fazer tudo o que precisava para afastar aqueles pensamentos e poucos dias depois foram felizmente foram afastados. O alívio é imenso e a revolta de não ter feito antes também. Quando o fiz já tinha a certeza absoluta que não tinha nada, falei com as pessoas certas e sabia que as tinha comigo para o que fosse preciso.

Acho que o segredo é mesmo esse; termos as pessoas certas ao nosso lado! E acreditem no meu caso, inicialmente pensava que estava a desabafar com a pessoa certa, mas só percebi que não nos últimos dias e rapidamente encontrei a pessoa certa - alguém que já passou por todo o processo e que me aconselhou muito muito bem. A outra pessoa não deixa de ser minha amiga, simplesmente não tinha capacidade de me ajudar neste assunto. Escusado será dizer que  A esteve sempre, incondicionalmente, ao meu lado e sempre com as palavras certas. 
Passadas já algumas semanas sei que o fundamental é mesmo tirar as dúvidas o mais rapidamente possível até porque passei dois meses atormentada por este bicho sem qualquer fundamento.

Beijinhos

Sem comentários:

Enviar um comentário

Muito obrigada pelo comentário! A vossa opinião é muito importante e ajuda-me a melhorar o conteúdo!
Após aprovação responderei a todos os comentários e visitarei os vossos blogs.
Espero que voltem!